sexta-feira, agosto 24

_ Está tudo tão calmo por aqui, ensurdecedor o barulho que o vazio faz.
_ Mas e nada tem te acontecido?
_ Não. Me aparece muito, me surpreende um tudo.
_ Então como pode dizer que está sendo domado pelo ócio?
_ Antes que eu pisque o novo já se foi, o eterno se mostrou efêmero. 
_ E o que te sobra?
_ Nada além de mim mesmo.
_ O que quer dizer com isso?
(Silêncio)
_ Está tudo tão calmo por aqui, ensurdecedor o barulho que o vazio faz.