sexta-feira, junho 27

20 de Fevereiro - 2014

Está sendo tudo tão rápido e intenso que eu tenho medo de ser uma chama efêmera. Mas ao mesmo tempo tem algo de verdadeiro em seus olhos que me garante que eu não sou mais um. Nosso laço se fortalece a cada dia e eu torço para você ficar por perto, sabe? Pertinho o suficiente pra saber do meu apreço e carinho, pra poder me abraçar e dizer que vai ficar tudo bem. Eu sou bobo, eu sei, mas eu tenho uma queda por romantismos. Tenho me sentido seguro com você como não me sentia há tanto tempo, parece que tem um esquadrão em minha volta, mas só o que há ao meu redor são seus braços e eles já são o suficiente para mim. Obrigado por restaurar minha fé nos sentimentos e me mostrar que você é diferente. É lindo, é um príncipe, é um anjo, é um neném. É.

domingo, novembro 17

Você está escutando? Já faz um tempo que eu não apareço, talvez não se lembre de minha voz. Eu sei, estive na sala de espera em silêncio durante o cantar dos segundos, mas acordei. Sinto como se uma faísca me acendesse por completo, eu só estava esperando o momento certo para te iluminar mais uma vez. Juro, não te abandonei, mas você precisava passar um tempo sem se apoiar tanto em mim, conhecer novas sensações e pessoas, saborear o desapego. Sentiu minha falta não é? Agora tenha calma, não digo que permanecerei para sempre, no entanto ficarei até onde seja necessário. Aproveite seu momento, pule, não se freie. A vida tem suas amarguras é bem verdade, ainda assim ela nos concede episódios tão doces que borram qualquer memória ruim, viva o agora. Se entregue!

segunda-feira, fevereiro 4

"Calabresa ou Frango Catupiry?" É dessa forma que muitos pensam, que da maneira como você escolhe o sabor de uma pizza, você escolhe sua sexualidade. Mas devo afirmar que não é uma opção e nem algo que seja influenciado pelas fases da lua ou coisa parecida. Pensem comigo, seria estúpido escolher ser homossexual em um mundo em que o preconceito e a intolerância estão enraizados. Onde os direitos para os gays não são garantidos e a dificuldade de se casar ou formar uma família se fazem presentes. Eu fico pensando o que é que essa gente mal informada me diria se eu falasse que há países em que existem pena de morte para os homossexuais, ele teria escolhido sentir atração e amar uma pessoa do mesmo sexo para viver uma vida mais intensa? Garanto que não. A homossexualidade é tão natural como o respirar, o estranho é a mente medíocre de indivíduos que se acham no direito de julgar alguém. Não, não sou doente, não preciso de conserto ou reabilitação e muito menos filho do demônio. O que eu posso te dizer é que assim como o sinal de nascença que carrego em meu rosto, eu carrego minha sexualidade desde sempre e no final das contas o que eu faço ou deixo de fazer na cama vai interessar apenas ao meu travesseiro.

segunda-feira, janeiro 28


Algumas pessoas estranham essa minha doação para com os meus amigos, o modo como eu os boto em um pedestal, torcendo para que a alegria seja despertada em seus peitos e exaltando-os. Talvez eu exagere mesmo, mas é que eu os tenho como meus anjos e nada mais justo do que meu querer bem em excesso. Não estou fazendo mal algum, certo? Então deixa assim, eu guardando tudo aquilo que recebo deles e fazendo o possível para vê-los sorrirem. Afinal, anjo é feito para voar e eu sempre estarei aqui para dar o impulso.

Eu já tinha me convencido que não abriria mais a porta para esses sentimentos que bagunçam meu raciocínio, se acumulam em minhas insônias, percorrem meus sonhos e formam curvas doces sobre meus lábios. Paixão é perigosa, menino. Passei a chave e fechei o cadeado porque acreditava que se ela aparecesse e sumisse eu teria que arrumar o peito sozinho, pôr os meus livros na estante juntamente com os pedacinhos de meu coração. Mas em um momento de descuido eu abri a porta, fui sentir a brisa e antes que minha mão alcançasse a maçaneta de volta, me encontrei no verde dos olhos que me serviam como luz. E foi aí que minha pele se encontrou iluminada pelo sorriso e minhas suspirações se lançaram sobre o rosto dele. Você está apaixonado, menino. Então logo logo o apreço virou o abraço, a vontade se transformou em beijo, as declarações ser tornaram promessas. O sentimento afirmou fidelidade. Mas por agora devo dizer que estou feliz, caso não tivesse aberto a porta empoeirada não descobriria o contentamento que hoje conheço e compartilho com ele. Torço para que seja assim enquanto a chama aquece nossas expectativas, o afeto estreita os laços, torço também para me perder cada vez mais nos campos verdes do olhar daquele a qual pertenço… Porque da escuridão e da solitude eu já compreendo bem e estou convicto de que ele é o sol em minha noite. 
 Paulo Justiniano.
Cora Coralina uma vez escreveu “coração é terra que ninguém vê” e eu, com toda minha pequenez, talvez tenha entendido o que ela quis dizer. Porque é um espaço pouco explorado e esse músculo nada voluntário - em todos os sentidos possíveis - traz consigo um mistério tamanho, fruto da nossa incapacidade de compreendê-lo e enxergá-lo. Definitivamente, é uma terra que não dominamos, não conhecemos e n
ela há uma série de esconderijos que até o mais valente dos homens se recusaria a entrar. No entanto com o tempo nós começamos a andar por esse solo escuro e inquieto e conseguimos decifrar alguns segredos que ele reservava. Por exemplo, que ele é grande o suficiente pra abrigar letras de música, amigos e familiares, mas pequeno e frágil na hora de aguentar a dor da saudade. Que ele se entrega para o primeiro sorriso e pula como um louco quando acha que está certo, mas quando percebe que está errado se lança em um mar de choro e tristeza. Descobrimos também que ele é burro, porém generoso, que guarda um talento incrível, mas também adora um drama. Basicamente eu acho que o coração é só mais uma daquelas coisas que não tem como você ver, mas é possível sentir. É só caminhar com cuidado, fazer silêncio e prestar atenção, aí quem sabe um dia você e ele se entendem e viram amigos de uma vez.
 Paulo Justiniano. 

domingo, janeiro 27

Dentre as coisas sensatas que eu digo, tem uma que acredito que merece destaque: o "fica bem" na hora de me despedir de alguém. Isso que eu desejo, que por muitas vezes passa despercebido pela maioria, sintetiza boa parte daquilo que acho fundamental na vida de alguém, além de carregar o melhor pedaço de mim. Pode parecer besteira, mas sou a favor de mais "fica bem" no começo ou final da conversa (no meio também pode, ok?) ao invés de conversas supérfluas. Se não tiver nada a dizer, se resuma ao "fica bem" e esqueça o resto. Siga meu conselho.

É tolice pensar que uma pessoa só pode mostrar e ter uma única face diante de tantas que carrega consigo. Você pode ouvir rock e ainda dançar funk, também é permitido gostar de ler e tomar indeterminadas doses de tequila, não vejo problema em falar sobre sexo com os amigos e depois emendar com algum assunto de cunho político. Ninguém precisa bancar o politicamente correto e nem a ovelha negra, na verdade somos a soma de tudo um pouco. E cada pessoa concilia em sua personalidade aquilo que a desperta de alguma forma, seja um poema de Augusto dos Anjos ou uma crônica de Martha Medeiros com uma música de fundo de Zeca Pagodinho. Somos antagônicos, contraditórios e singulares, por mais que em diversas vezes nos vejamos tão plurais.

quarta-feira, janeiro 16

É muito fácil você me achar ou conhecer a superfície de mim, nem é preciso entrar em labirintos. Eu sou aquele que as pessoas apontam, a ovelha negra, a música chiclete que você escuta em um dia tedioso de domingo, o que revira os olhos e dá o grito mais escandaloso em época de luto. Me diferencio. E hoje, com todos os poréns que isso me reserva, acredito que no final das contas é algo bom. Sempre disse que não nasci para ser mais um fator nulo, quero ser o expoente mais alto, a cor mais intensa e o verso mais complicado. O pior de tudo é que eu consegui ser tudo isso e um pouco mais. Repito que não tem segredo, sem demora você vai me descobrir e talvez até ria comigo ou de mim, tem o risco de você se deixar encantar ou sair correndo. Se tiver com medo não se aproxime, não sou fogo, mas solto faísca, não rastejo pelo chão, mas também destilo veneno e quando amo é daquele tipo de amor que se vê em filme independente francês. Complicado. Incógnita. Sugiro que você peça uma prova de Matemática ao invés de topar comigo antes de estar com a mente aberta. Enfim, se depois de tudo isso você ainda quiser sentar ao meu lado, não diga que eu não avisei. Ah, mas tem um detalhe: pode não haver labirintos até mim, mas cuidado para não cair em armadilhas antes de chegar aos meus braços.

domingo, novembro 11


Há quem diga que em algumas ausências se pode preencher o espaço da visita, que tem silêncio capaz de ser maior do que um milhão de gritos e que ainda nesse mundo existem corações abraçando mais um tanto de sorrisos. Há quem diga…